Status

Gartner 2016 – Quadrante Mágico de Cloud IaaS.

Olá Leitores, Bom Dia.

Exatamente a 01 mês atrás o Gartner públicou o Quadrante Mágico de Cloud para InfraEstrutura considerando a evolução dos provedores do ano de 2015 para 2016. Passei as últimas semanas lendo as análises, percepções e comentários de diversas fontes e assim saiu este post.

Inicialmente para quem quer ter acesso ao post completo – aqui está a referência – Magic Quadrant for Cloud Infrastructure as a Service, Worldwide.
https://www.gartner.com/doc/reprints?id=1-2G2O5FC&ct=150519


O que Cloud quer dizer para o Gartner:

Cloud computing é um estilo de computação no qual capacidades habilitadas por TI como recursos escaláveis e elásticos são entregues como um serviço usando tecnologias de internet.

Infraestrutura de Cloud como um serviço (IaaS) é um tipo de serviço de computação em nuvem que se assemelha a infra-estrutura e de centros de dados de iniciativas de TI.

  • Apenas Cloud IaaS é avaliada neste Quadrante Mágico;
  • Não abrange os provedores de armazenamento em nuvem, plataforma como serviço provedores (PaaS), provedores de SaaS, corretoras de serviços em nuvem (operadores privados) ou qualquer outro tipo de provedor de serviços em nuvem;
  • Não abrange os fornecedores de hardware e software que podem ser usados para construir infraestrutura de nuvem;

Vamos aos resultados e classificação dos provedores:

2016IaaS-MQ


Primeira referência que notei é que há um forte mensagem  na avaliação do Quadrante Mágico que enfatiza a necessidade de self-service, automação em um ambiente padronizado e principalmente lançamento de funcionalidades sob IaaS.

De maneira geral é obrigatório na avaliação do Gartner que os provedores ofereçam segurança (com multiplos orgões certificadores), marketplace (com soluções proprietárias e de parceiros), Suporte enterprise (24x7x365) via telefone, chat e ticket e que os provedores tenham o controle financeiro de conta de forma online.

O Gartner continua relatando infra-estrutura separada do resto da plataforma, mas não é o que estamos acostumado a encontrar no mercado. Muitos provedores como AWS, Azure, IBM, possuem os ambientes trabalhando juntose assim tornando o catálogo mais amplo e completo.

Faz-se necessário que todos os fornecedores ofereçam um portal, documentação, suporte técnico, suporte ao cliente e contratos em Inglês. Identificamos que muitos fornecem um ou mais destes em outros idiomas além do Inglês.

A maioria dos provedores pode realizar negócios em línguas locais. Clientes que necessitam de apoio multi-linguagem, será desafiador, principalmente para nós do Brasil.

A Gartner não considera Bare Metal ou servidores dedicados como Cloud, embora outros orgãos de mercado, incluindo IDC, Forrester, Synergy e TBR já considerem. Há uma crescente muito grande na necessidade e adoção de servidores bare metal por causa de sua segurança superior (através de isolamento físico) e um desempenho inigualável (necessário para análises intensas, aplicações em nuvem escala e cargas de trabalho empresariais, como VMware e SAP) e também em servidores virtuais dedicados.

 

Fornecedores considerados mas não incluídos no relatório do Gartner:

Está lista me chamou a atenção pela presença da Oracle e da IBM (com o BlueMix), vamos aos detalhes:

  • IBM.  Apenas SoftLayer oferta da IBM está incluído neste Quadrante Mágico, a IBM também tem outras iniciativas IaaS que não foram avaliados nesta pesquisa. Bluemix oferta da IBM – anteriormente puramente uma PaaS – foi ampliado para incluir elementos IaaS; no momento da avaliação, no entanto, a maioria destes elementos IaaS não foram em geral disponibilidade, e Bluemix como um todo não é uma oferta de nuvem IaaS geralmente disponíveis. A IBM também oferece o serviço de Blue Box, uma nuvem de IaaS oferta privada baseada em OpenStack. plataforma de IaaS e PaaS integrada go-forward da IBM serão apresentados através do portal Bluemix, e vai incorporar capacidades de Bluemix, SoftLayer e BlueBox. 
  • Oracle. No momento da avaliação, o serviço de nuvem da Oracle Compute não estava em disponibilidade geral e Oracle não tinha outra IaaS oferta de nuvem na disponibilidade geral que atende a definição de IaaS da Gartner. Consequentemente, a Oracle também não tem quota de mercado suficiente para se qualificar para a inclusão.

 

Obrigado e abraços,


Thiago Viola
Cloud Mid Market Sales Leader
SoftLayer Subject Matter Expert

E-mail: thiagoviola@yahoo.com.br
LinkedIn: br.linkedin.com/in/thiagoviola
Blog: https://thiagoviola.wordpress.com/
Twitter: @ThiViola
YouTube Channel: https://www.youtube.com/user/tviola87
Slide Share: http://www.slideshare.net/ThiagoViola

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s