3° Workshop Online de OpenStack

Olá Leitores,

Neste mês de Maio do dia 08 a 16 de Maio de 2017 teremos o 3° Workshop Online de OpenStack., a plataforma de Cloud Computing que mais cresce no mundo, utilizada e aperfeiçoada por mais de 70.000 pessoas, 600 empresas em mais de 177 países e que só agora está começando a se desenvolver no Brasil.

OpenStack

 

O que é OpenStack?

OpenStack é um software open source usado para criação de nuvens computacionais, tanto públicas como privadas.  Com o OpenStack uma empresa pode criar uma camada de gerenciamento acima de toda sua estrutura de TI, onde os usuários podem administrar seus recursos facilmente através de uma interface web ou por API, recursos como servidores, redes, firewalls, balanceadores de carga e muitos outros podem ser criados e excluidos com alguns cliques.

 

O que será abordado neste workshop ?

Nesse workshop gratuito caberá a explicação de como o OpenStack funciona, para quais empresas é mais indicado e também o ensinamento sobre seus módulos e mostrá-los em funcionamento.

  1. Posicionamento do mercado de TI.
    Com o mercado de TI cada vez mais competitivo e em aceleração constante, ter conhecimento sobre OpenStack significa ter o poder da nuvem nas suas mãos.
  2. Aprenda como ter sua própria Nuvem Open source 
    Um portal de recursos computacionais self-service como servidores, roteadores, redes, firewalls, bancos de dados, etc… construido com tecnologia open source.
  3. Flexibilidade e escalabilidade
    Construção de nuvens públicas, privadas e hibridas integrando com as principais distribuições Linux, provedores de nuvens e plugins com os maiores fabricantes de network e storage do mercado.

 

Acesse o link agora mesmo e realize seu cadastro: http://openstack.cloudtreinamentos.com/

 

Obrigado e abraços,


Thiago Viola
Head of Cloud Digital Sales Brazil
SoftLayer Subject Matter Expert

E-mail: thiagoviola@yahoo.com.br
LinkedIn: br.linkedin.com/in/thiagoviola
Blog: https://thiagoviola.wordpress.com/
Twitter: @ThiViola
YouTube Channel: https://www.youtube.com/user/tviola87
Slide Share: http://www.slideshare.net/ThiagoViola

Cloud IBM com servidores SAP certificados – Provisione agora !

Olá Leitores,

No início de Março fiz um post com o tema: “SAP em Cloud? Já disponível no IBM Bluemix Infrastructure“, onde abordei que a IBM certificou junto a SAP sua infra-estrutura IBM Bluemix a qual será capaz de fornecer flexibilidade na execução cargas de trabalho SAP.

Este ambiente foi justamente construído  para escalar facilmente provendo aos clientes velocidade de implantação de recursos e o uso para novas cargas de trabalho.

A novidade fica por conta da listagem dos servidores que estão homologados e certificados para trabalharem com workloads em SAP. Como saber ?

  1. Acesse a página SoftLayer.com e clique sobre Servidores >> IaaS certified for SAP.

    Screen Shot 2017-04-21 at 1.17.08 AM

  2. Após selecionar a opção IaaS certified for SAP, você será direcionado a uma nova página onde teremos informações pertinentes ao mundo Cloud + SAP como, indicativos de trazer aplicativos SAP de negócios críticos em execução nas soluções SAP HANA ou SAP NetWeaver para a Cloud.

    Tanto a SAP HANA como a SAP NetWeaver foram testadas e certificadas para serem executadas em servidores Bluemix bare metal, permitindo acelerar e agilizar o ambiente em nuvem, tornando mais fácil e econômico escalar ou escalar.

  3. Algumas orientações válidas referente ao ambiente são.:
    • Apenas os servidores Bare Metal contratados no modelo MENSAL estão certificados;
    • O provisionamento do ambiente respeitará o prazo de 01 à 04 horas;
    • Os ambientes de SAP Hana consistem em Linux – RedHat Enterprise;
    • SAP HANA até o momento estão disponíveis em 3 modalidades: 512GB, 1TB e 2TB;
    • VPN ou Direct Link poderão ser provisionados;
    • Os servidores possuem capacidade de até 10 Gbps;
    • Storage poderão ser contratados como disco interno da máquina (com RAID) ou Storage externo – como o Endurance ou o Performance.
    • O licenciamento do SAP é de responsabilidade do cliente;
  4. Os servidores disponíveis para iniciarmos o uso, são eles.:

    Screen Shot 2017-04-21 at 1.22.26 AM

  5. Caso queiram maiores informações, estas estão neste link.

https://www.ibm.com/cloud-computing/bluemix/sap-bare-metal-servers?cm_mc_uid=73540181295214876901897&cm_mc_sid_50200000=1492713289&cm_mc_sid_52640000=1492713289

 

Obrigado e abraços,


Thiago Viola
Head of Cloud Digital Sales Brazil
SoftLayer Subject Matter Expert

E-mail: thiagoviola@yahoo.com.br
LinkedIn: br.linkedin.com/in/thiagoviola
Blog: https://thiagoviola.wordpress.com/
Twitter: @ThiViola
YouTube Channel: https://www.youtube.com/user/tviola87
Slide Share: http://www.slideshare.net/ThiagoViola

Nota

Recomendações para fugir de vendor lock-in em Cloud.

Bom Dia Leitores,

O assunto de ‘Vendor lock-in’ não é novo, vem de muito tempo atrás com hardware, software, ERP, etc., e agora é a vez de analisarmos o cenário em Cloud e propor uma visão pertinente sobre como não cair na armadilha do ‘lock-in’.

Handcuffs

 

Não restam dúvidas que qualquer fornecedor escolhido este tentará convencer sua empresa a extrair o valor máximo de sua Cloud.

Mas e qual é a sua estratégia de saída ? Como tratar alternativas a problemas recorrentes ou genericos ? estas e outras questões em todos os modelos de Cloud devem ser respondidos antes da contratação.

Sendo assim, vamos a análise um a um.:

IaaS

  • Inicie a busca por provedores de infraestrutura que façam uso e tenha padrões de APIs compatíveis com a maioria dos provedores de Cloud e sejam aderentes a modelos abertos como o Open Stack.
  • Utilize Docker ou solução similar. Dessa maneira você terá containers  modulares que você ‘pode reconstruir e implantar’ com simplicidade.
  • Evite utilização de banco de dados exclusiva de um provedor. Sabemos que sua aplicação precisa armazenar, mas escolha corretamente o modelo e serviço de banco de dados contratado.

 

IaaS/PaaS

  • Implementar integração de API/REST. Modelo fácil da Web que você se conecta através de HTTPS e torna padrão facilmente em chamadas web.  
  • Configuração deverá ser externalizada. Não codifique utilizando apenas um serviço, servidor, plataforma, etc.
  • Use APIs comuns. Se você estiver usando NodeJS por exemplo ou outras APIs bem conhecidas semelhantes, então não se preocupe com vendor lock-in. Se você começar a usar os serviços fornecidos pela plataforma, você tem um problema maior.

 

SaaS

  • Certifique-se de que existe um método padrão para a exportação de dados. Veja se é viável importar seus dados em outros sistemas.
  • Teste o método de exportação de dados.

 

Cloud em geral

  • Evite dependência da tecnologia exclusiva do provedores de Cloud. Na maioria das vezes, seus laços arquitetônicos são mais processos do que códigos. Estes tendem a vazar em chamadas API ou outros procedimentos de gestão operacional.
  • Use IPs fixos e nomes DNS vinculados à sua empresa e não ao provedor.
  • Tenha duas Cloud. É mais fácil mover se você começar com pelo menos dois fornecedores diferentes. Isso é mais difícil de fazer com SaaS, mas bastante operável com IaaS / PaaS. 

 

Em linhas gerais utilizar a arquitetura de microserviços ou, pelo menos, os seus princípios é a melhor alternativa. Sempre mantenha UMA estratégia de saída do provedor de Cloud e tenha certeza que este provedor não está criando dificuldades a você.

abcno_lock

Obrigado e abraços,


Thiago Viola
Head of Cloud Digital Sales Brazil
SoftLayer Subject Matter Expert

E-mail: thiagoviola@yahoo.com.br
LinkedIn: br.linkedin.com/in/thiagoviola
Blog: https://thiagoviola.wordpress.com/
Twitter: @ThiViola
YouTube Channel: https://www.youtube.com/user/tviola87
Slide Share: http://www.slideshare.net/ThiagoViola

Saiba porque sua empresa precisa de uma estratégia diferente de Data Center para o Mundo Digital

Colocar em uma mesma frase DataCenter e Mundo Digital gera desconforto no contexto em que estamos inseridos hoje em tecnologia, mas nas últimas décadas foram eles, os DataCenters que formavam concepções básicas de um ecossistema de TI que sustentaram com louvor grandes empresas e aplicações.

Sabemos que houveram mudanças práticas em tecnologia para DCs principalmente nos ítens de energia e refrigaração, além da concepção e construção física que sofreram inovações, no entanto, será que tais atualizações suportarão o Mundo Digital ?

Quando olho para DataCenters tradicionais penso naquele esquema básico de preocupação.: Compra de recursos, manutenção, atualização, gerenciamento, além de HA, DR, replicação e outros que influenciam diretamente um ambiente OnPremises, mas será que são esses tipos de preocupações que irão impedir o uso para o “novo” Mundo Digital ?

Vamos analisar …

O novo mundo digital está mudando e mudará a forma como as empresas se relacionam com mercados e seus públicos-alvos. E isso obrigara a levar  TI  a uma posição de protagonista nos processos de negócio e exigirá mudanças sistêmicas nas organizações.

Para demonstrar como o mundo vem se transformando gosto de utilizar um exemplo clássico utilizado pelo Rodrigo Kede sobre a diferença tecnologica que o mundo sofreu do  conclave de 2005 do ‎Papa Bento XVI‎ para o do Papa Francisco‎ em 2013.

2005

2013

É nítida a quantidade de dispositivos conectados simultaneamente. Segundo o Gartner em 2020 mais de 7 bilhões de pessoas, além de cerca de 35 bilhões de dispositivos, estarão conectados à Internet e isso certamente resultará em um significativo aumento na velocidade, no consumo e no volume de dados tratados pelos usuários. Será mesmo que um DataCenter tradicional suporta isso ?

Os DataCenters tradicionais foram criados para gerarem altos níveis de disponibilidade e redundância com processos bem documentados para estruturas tradicionais e estruturas organizacionais segmentadas em um volume previamente dimensiado.

Certamente essa abordagem já não é apropriada para o mundo digital, a função e a entrega dos DataCenters terão que ser alteradas, ou a agilidade dos negócios e a competitivida empresarial estará comprometida – para isso que tal adotarmos um novo modelo de consumo de TI como CLOUD ?

Segundo o Gartner, até 2018, 75% das empresas mudarão significativamente sua estratégia de DataCenter para se concentrarem na agilidade sobre a resiliência.

screen-shot-2017-03-05-at-6-18-01-pm

No entanto, sabemos que mudanças a novos modelos gerão resistência e podemos analisar o que realmente poderá ou não acontecer para que este mundo se torne realidade.

O que terá resistência a mudança ?

  • Governança, resiliência e conformidade aos níveis executivos terão prioridade;
  • Exemplos de falhas de segurança tornarão as organizações cautelosas;
  • Exemplos de falhas e indisponibilidade em serviços de provedores de Cloud podem retardar o uso de nuvem.
  • Os investimentos feitos em ambiente OnPremises deixarem de ser prioridade e serem convertidos em OPEX.

 

O que terá impulsionará a mudança ?

  • Velocidade para obter novos produtos no mercado irá pressionar os líderes empresariais a se concentrarem na agilidade;
  • A cultura de otimização de custos ganhará níveis crescentes de avaliação;
  • Criação de uma cultura de não foco operacional e sim em inovação / agilidade;
  • O uso de Cloud permitirá que as organizações se concentrem em novos modelos de negócios.
  • Novas tecnologias irão permitir que aTI se concentrem na inovação e auxilie outras áreas de negócio.

 

Para finalizar apoiado no Gartner este apresentou cinco recomendações para que as organizações desenvolvam uma estratégia de DataCenter mais adequada e moderna:

1. DataCenter se comportar como uma fábrica e um laboratório – A explosão no volume de dados fará com que as infraestruturas precisarão estar preparadas para trabalhar um alto número de informação com agilidade e assim resultar em uma grande escala no processamento.

2. Gerencie a pressão sobre o data center para torná-lo ágil e inovador – O ambiente precisa estar preparado para rodar processos tradicionais sem perder a capacidade de abrigar tecnologias inovadoras, no que abordagem a TI bimodal optar por um ambiente híbrido entre OnPremises e Cloud é uma ótima opção.

 3. Gerencie Riscos – Os DCs são pontos para onde irão convergir bilhões de dados oritundos de milhões de dispositivos. Tradicionalmente, esses ambientes focam na gestão de risco associadas a tempo de parada e disponibilidade. As estratégias para um mundo digital precisam ser mais amplas considerando a capacidade de concluir transações sem falhas. 

4. Torne o Datacenter parte de uma topologia híbrida e ampla – Nos próximos anos, mais da metade do investimento em TI será feito pelas áreas de negócio.

5. Abrace as novas tecnologias de uma maneira diferente – A era digital trará novos negócios e consigo novas tecnologias.

 

Obrigado e abraços,


Thiago Viola
Cloud Mid Market Sales Leader
SoftLayer Subject Matter Expert

E-mail: thiagoviola@yahoo.com.br
LinkedIn: br.linkedin.com/in/thiagoviola
Blog: https://thiagoviola.wordpress.com/
Twitter: @ThiViola
YouTube Channel: https://www.youtube.com/user/tviola87
Slide Share: http://www.slideshare.net/ThiagoViola

 

Precisando de um TCO para movimentar seu SAP para Cloud ?

Leitores, Bom Dia.

Recentemente fiz um post com o nome de  ‘Cloud para 2017 – O que devemos esperar ? ‘ e nele comentei sobre os principais  workloads que as empresas devem intensificar a busca e assim a migração para Cloud.

” Aplicações ‘core business’ como ERPs, CRMs, SAP, Totvs, Oracle e grandes investimentos em DataCenters locais não serão mais desculpas para que as empresas adotem Cloud. Sendo infraestrutura, plataforma ou Software os benefícios de Cloud são evidentes e as empresas passaram a investir fortemente nesta nova modalidade.”

Atualmente pode ser difícil justificar o custo total de propriedade (TCO) quando você não tem uma compreensão clara do que os principais benefícios tangíveis e intangíveis podem ser, especialmente quando se movem aplicações ERP para Cloud. Felizmente, existem ferramentas que podem ajudá-los a avaliar os benefícios na movimentação de SAP para Cloud e assim colocarmos no papel os principais imperativos.

screen-shot-2017-02-03-at-9-41-42-pm

 

Apresento a vocês a ferramenta da IBM chamada: Cost Benefits Estimator , que ajuda as organizações a olhar para a infra-estrutura gerenciada, incluindo aquelas projetadas especificamente para cargas de trabalho SAP. Os resultados são baseados em métricas financeiras e modelos de justificação validados por terceiros.

Querem saber como funciona?

É uma ferramenta que faz algumas perguntas básicas, tais como:

  • Quantos servidores serão movidos para a nuvem?

  • Quantos recursos em tempo integral são necessáriks para suportar sua infraestrutura e aplicativos atuais?

  • Qual a industria em que sua empresa está?

  • Quantos clientes você tem?

  • Quais são os principais objetivos? (Aumentar o alcance do cliente? Melhorar o tempo de mercado? Outros fatores?)

Ao responder a essas perguntas, a ferramenta pode ajudar sua empresa a estimar as economias anuais com base em seus ambientes.

screen-shot-2017-02-03-at-9-48-33-pm

Por exemplo, permite comparações entre os custos dos custos de mão-de-obra de suporte do SAP para o ambiente atual versus os serviços gerenciados na infraestrutura de nuvem da IBM.

screen-shot-2017-02-03-at-9-52-54-pm

 

screen-shot-2017-02-03-at-9-53-55-pm

Aproveitem 🙂

Obrigado e abraços,


Thiago Viola
Cloud Mid Market Sales Leader
SoftLayer Subject Matter Expert

E-mail: thiagoviola@yahoo.com.br
LinkedIn: br.linkedin.com/in/thiagoviola
Blog: https://thiagoviola.wordpress.com/
Twitter: @ThiViola
YouTube Channel: https://www.youtube.com/user/tviola87
Slide Share: http://www.slideshare.net/ThiagoViola

Citação

Gerencie sua infraestrutura através do APP Mobile – IBM BlueMix.

Olá Leitores, Bom Dia.

A integração entre o mundo de Infraestrutura e Plataforma na IBM previamente anunciado está em ritmo acelerado e hoje trago mais uma novidade para vocês.

img_1002

O acesso para o  IBM BlueMix Infrastructure além de ser feito através de navegadores WEB, agora também poderá ser utilizado via app mobile (em tablets e smartphones). Disponível para download na Apple Store , no Google Play e até no Windows Store com o nome de IBM BlueMix.

Com este app do IBM Bluemix você se mantem conectado e em controle dos seus serviços, servidores e network. Recursos de gerenciamento poderosos e controles altamente interativos disponibilizam o gerenciamento a qualquer momento e em qualquer lugar em sua infraestrutura nas e fácil de usar.

Lembre-se que o IBM Bluemix fornece uma plataforma de Cloud para ajudá-lo a resolver problemas reais e a estimular o valor de negócios com aplicativos, infraestrutura e serviços de um número crescente de datacenters e pontos de rede presentes ao redor do mundo. Os produtos e serviços incluem bare metal e servidores virtuais, redes, soluções de big data, soluções de nuvem privada e muito mais.

poem-1

As funções de gerenciamento que estão disponíveis no app são.:

Chamados – Precisa de ajuda, mas não está na empresa? Crie rapidamente um novo chamado para uma solicitação de suporte ou examine os chamados de suporte existentes e verifique seus status.

 

Servidores – Visualize os detalhes de desempenho e controle funções básicas com os seus servidores Bluemix virtuais e em bare metal. Desligue ou ligue facilmente um servidor, execute ping no servidor para testar sua disponibilidade de rede ou reinicialize.

servidores

 

Largura de banda – Monitore o uso da largura de banda dos seus servidores Bluemix virtuais e em bare metal.

redes

 

Finanças – Não perca as contas ! Tenha na palma de sua mão o saldo de consumo atualizado de sua infraestrutura utilizada no IBM BlueMix.

img_0996

 

Obrigado e abraços,


Thiago Viola
Cloud Mid Market Sales Leader
SoftLayer Subject Matter Expert

E-mail: thiagoviola@yahoo.com.br
LinkedIn: br.linkedin.com/in/thiagoviola
Blog: https://thiagoviola.wordpress.com/
Twitter: @ThiViola
YouTube Channel: https://www.youtube.com/user/tviola87
Slide Share: http://www.slideshare.net/ThiagoViola

Quer aprender sobre Watson ? Conheça o projeto IBM Watson no Olhar Digital

Olá Leitores,

O poder da computação cognitiva está presente em nosso dia a dia e a IBM em parceria com o Canal Olhar Digital acaba de lançar uma websérie para divulgar as APIs do IBM Watson em nossa plataforma BlueMix.

Esse projeto consiste em episódios que irão mostrar nos detalhes as APIs do IBM Watson. Além disso, teremos alguns “Diários de Bordo” que irão mostrar a experiência do time do Olhar Digital em usar o BlueMix e as APIs do IBM Watson para o desenvolvimento de um aplicativo cognitivo.

http://olhardigital.uol.com.br/webserie_watson/

ibm_watson

Acesse a página e adquira conhecimento em APIs do Watson como:

  • Natual Language Classifier
  • Tone Analyzer
  • Language Translatio
  • Personality Insights
  • Tradeoff Analytics
  • Retrieve & Rank
  • Conversation

 

Obrigado e abraços,


Thiago Viola
Cloud Mid Market Sales Leader
SoftLayer Subject Matter Expert

E-mail: thiagoviola@yahoo.com.br
LinkedIn: br.linkedin.com/in/thiagoviola
Blog: https://thiagoviola.wordpress.com/
Twitter: @ThiViola
YouTube Channel: https://www.youtube.com/user/tviola87
Slide Share: http://www.slideshare.net/ThiagoViola