Participe do evento virtual: IBM Cloud & SAP

1210716_ibm_registrationbanner_990

Evento Virtual – IBM Cloud & SAP IBM Webcast

Data: 05 Julho, 2016
Horário: 10:00 (BRT)
Duração: 120 minutos

Orientação com especialistas para a construção de soluções em Nuvem de maneira rápida, flexível, escalável e segura. 

Atualmente um grande número de empresas utilizam aplicações SAP diariamente na gestão de seus negócios. Nelas se encontram as informações mais críticas e sensíveis das organizações e por isso é extremamente importante que estejam em uma infraestrutura robusta e de confiança. Aliado a isso a evolução de tecnologias em Cloud vem crescendo exponencialmente e o que antes era uma tendência já se tornou realidade.

No entanto, muitas dúvidas ainda permeiam o mercado sobre como aproveitar ao máximo o potencial da Nuvem e utilizá-la como solução da maioria dos desafios de TI. Afinal, como você pode extrair valor desta solução no curto e no longo prazo? Qual modelo de Nuvem – full service ou development service é o mais indicado para sua instalação SAP? Como garantir um ótimo desempenho, com segurança e melhor configuração na Nuvem?

Participe do Webcast IBM Cloud & SAP e descubra as respostas para estas e muitas outras dúvidas, além de conhecer os diversos benefícios de trazer as aplicações SAP para a Cloud IBM.

Faça sua inscrição clicando neste LINK.

Obrigado,


Thiago Viola
Cloud Mid Market Sales Leader
SoftLayer Subject Matter Expert

E-mail: thiagoviola@yahoo.com.br
LinkedIn: br.linkedin.com/in/thiagoviola
Blog: https://thiagoviola.wordpress.com/
Twitter: @ThiViola
YouTube Channel: https://www.youtube.com/user/tviola87
Slide Share: http://www.slideshare.net/ThiagoViola

Entrando na nuvem e encontrando um nevoeiro, vem aí Fog Computing !

Olá Leitores, Boa Noite.

Hoje o conceito de Cloud Computing é algo recorrente no mercado e assim tem possibilitado o surgimento de novas tecnologias e até mesmo novos modelos de tecnologia como o IoT – Internet of Things ou traduzindo – Internet das Coisas.

O conceito de IoT tem crescido e grandes empresas tem investido alto para que o mundo se torne realmente conectado nas próximas décadas. A IBM hoje é prova dessa imersão tendo o IoT presente em sua plataforma (PaaS) BlueMix, veja o link – Soluções de IoT.

O surgimento do IoT muito se deve a Cloud, pois o grande volume de processamento de dados, quantidade de armazenamento e trafégo de rede necessitam justamente de algo escalável, elastico e com alta performance.

Mas o que tudo isso tem haver com o tal do Fog Computing ?

FogComputing-

Fog Computing : O conceito trata-se da economia de tráfego e tempo de envio de dados para a nuvem, fazendo com que o processamento ocorra diretamente no equipamento, ou no máximo em algum concentrador próximo sem a necessidade de ser enviado para a nuvem.

Para que possamos exemplificar imagine uma cidade conectada, em que uma câmera de tráfego inteligente detecte o padrão de luzes de emergência de uma ambulância, e então manda essa informação para o semáforo, avisando para liberar o tráfego, nesse caso o tempo é crucial. Se for necessário o envio dessas informações para serem processadas para a nuvem e então serem enviadas para o semáforo pode se perder um tempo crucial.

Dessa maneira, fog computing é uma espécie de nuvem porém mais próxima do usuário e dos equipamentos, acelerando o processamento e diminuindo o tráfego na rede, principalmente em ambientes que não contam com grandes larguras de banda, no exemplo de uma cidade conectada por exemplo, boa parte do tráfego para a nuvem é feita com tecnologias mais acessíveis como o 3G/4G.

Sendo assim, o Fog Computing, traduzindo como “Névoa” ou  “Nevoeiro” trata-se justamente dessa “simple- cloud” mais próxima do usuário, facilitando o processo principalmente da Internet das coisas.

Imagine só no futuro você poder executar comandos em seu carro, banheira, cafeteira de forma local e apenas fazendo pontos de validação na Cloud! Seria maravilhoso !

Lembrem-se utilizar o Fog-Computing não exclui o uso de Cloud computing e sim será um complemento, até por que muitos dispositivos não terão capacidades para grandes capacidades de processamento o que deverá continuar sendo feito na nuvem.

Como o Fog Computing se aplica na realidade ?

A Cisco foi justamente a criadora do termo Fog Computing pois identificou a necessidade do mercado quando começou a investir em pesquisas relacionadas a Internet das Coisas.

Um grande exemplo dado pela própria Cisco: “Um motor a jato pode produzir 10 Terabytes de dados sobre o seu Desempenho e condições em apenas 30 minutos” “Seria um desperdício de banda enviar essa enorme quantidade de informação para a nuvem apenas para ser processada e então mandar de volta para a Rede local”.

Fog Computing com certeza tornará realidade o uso e a aplicabilidade do IoT em nosso cotidiano !

 

Eventos:

Referências:

Slides & Documentação:
Quem quiser aprofundar no assunto, através do slide share é possível encontrar ótimos conteúdos de múltiplos profissionais:

 

Obrigado,


Thiago Viola
IBM Cloud Services Sales Manager
SoftLayer Subject Matter Expert

E-mail: thiagovola@yahoo.com.br
LinkedIn: br.linkedin.com/in/thiagoviola
Blog: https://thiagoviola.wordpress.com/
Twitter: @ThiViola
YouTube Channel: https://www.youtube.com/user/tviola87

 

Cloud é só redução de custos ?

Olá Leitores,

Nessa última semana conversei com muitos clientes que estão se preparando e estruturando suas respectivas areas de TI para a adoção inicial de Cloud.

Resolvi fazer esse post sobre: “Cloud é só redução de custos ?” pois a primeira preocupação de todos os clientes foi quanto a cloud poderia trazer de economia para a empresa.

No entanto, existem muitos aspectos que devemos considerar antes de chegarmos realmente até a economia que a Cloud pode proporcionar.

Muitos são os desafios nesse começo de avaliação, e os questionamentos de por onde começar a justificar esse novo modelo ? Devo adotar Cloud ou ficar no meu Hosting ? entre outras devem ser esclarecidas.

Abaixo colocarei os principais imperativos para uma solução em Cloud.:

a

1. Escalabilidade & Elasticidade

Atualmente se observarmos os datacenters das empresas chegaremos a uma simples conclusão: Todos os ambientes são dimensionados pelo pico ou, no melhor caso, pela utilização média.

Não seria mais inteligente deixarmos o ambiente trabalhando com recursos mínimos e deixarmos a funcionalidade de auto-scale (escalibilidade automatica) pré-definida para aumentar ou diminuir recursos computacionais quando necessários ?

Tornar um ambiente escalável e elastico não depende apenas de ter hardware a disposição. Cloud é muito mais do que isso … A nuvem nos proporciona toda a inteligência e capacidade de orquestração nos diversos componentes como servidores, storage, rede, load balancer, firewall, tendo tanto um controle técnico de integração e entrega desses componentes como um controle financeiro sobre os ítens utilizados.

 

2. Agilidade no provisionamento de um ambiente

Vamos pensar de forma macro no modelo atual das empresas na disponibilização da infra-estrutura em TI. Os passos mais comuns que temos seriam:

Demanda de negócio & Definição do projetob
Discussão sobre a capacidade, arquitetura da infra-estrutura, segurança, etc
Adequação de restrições (espaço no DC, budget/custos, skill do time, etc)
Aprovação do investimento
Abertura do processo de compras para o Hardware e o Software
Assinatura do contrato
Entrega do equipamento e licenças
Configuração física
Instalação do SW básico
Instalação dos SWs adicionais
Disponibilização para testes
“Go Live”
Aplicação disponível para o “cliente”
Estamos falando em 14 passos e cerca de 3-4 meses para colocarmos um projeto em funcionamento.

No mundo atual de Cloud, ter um servidor virtual a disposição por exemplo leva cerca de 3 a 5 minutos para que a utilização comece e ainda suportando licenciamento, sistema operacional, aplicações, tudo de forma nativa.

Sem duvida nenhuma que o planejamento do projeto deve continuar sendo feito porém as execuções operacionais essas são sim não devemos mais nos preocupar.

 

3. Self – Service

Considerando ainda os passos citados pelo ítem 02 – Agilidade no provisionamento de um ambiente, imagine só se no meio do projeto alguém esqueceu de considerar um recurso computacional vital como um Storage ou um Firewall, pensem em quanto tempo seria necessário aguardar e quantas ações seriam tomadas até terem os componentes entregues.

Não seria mais fácil, termos um portal Self – Service onde o cliente poderá visualizar todo o portfólio disponível da empresa e assim decidir por qual tecnologia utilizar ?

Essa é mais uma vantagem que a Cloud proporciona – ter todo essa catalogo disponível para consumo e provisionamento em minutos é maravilhoso.


4. Não depreciação de recursos computacionais

cAo comprarmos um servidor hoje sabemos que ele terá uma data aproximada de validade, ou seja, haverá uma depreciação natural do Hardware e em média isso acontece de 3 a 4 anos.

Podemos ainda colocar nesse ítem de depreciação a preocupação com manutenção física de componentes, além de suporte e garantia da empresa de hardware contratada.

 

Pensando no modelo de Cloud, você não terá essas preocupações !

A atualização do hardware é responsabilidade do provedor de Cloud assim como a manutenção de qualquer componente.

Não caberá a você cliente se preocupar se o equipamento está depreciado, se não tem suporte, se a tecnologia ficou antiga, etc.

Sua preocupação é consumir recursos como serviço e pagar a fatura no final do mês.

 

4. Pay as you go

Consuma quanto e quando quiser e pague apenas por isso !
Neste ítem com certeza está uma das GRANDES vantagens da Cloud.
Para exemplificá-lo usarei uma situação levantada por um cliente:

Questão do cliente:
Não utilizo os servidores de DEV/QA das 18h00 as 08h00 o que posso fazer para economizar ?

Resposta:
Consuma os servidores das 08h00 as 18h00 através do modelo de hora e desligue e guarde os servidores das 18h00 as 08h00. Isso causará uma economia de 14 HORAS por DIA e no final do mês refletirá em uma redução dos custos.

Para esse ítem ainda cabe a dica: NÃO DIMENSIONE seu ambiente para a média ou pico, trabalhe com poucos recursos e use apenas quando necessário.

5. E por fim, chegamos aos custos!

Vamos analisar inicialmente os custos básicos com infra-estrutura em um projeto de TI “On-Premises”:

Licenciamento de Software
Hardware
Customização e implementação
Time de suporte à infra-estrutura
Manutenção / Tuning para performance / Patches
Treinamentos
Energia elétrica / Ar Condicionado
Espaço no Data Center
Networking / Banda de rede
Redundancia / HA – 99%, 99,5% ou 99,999% ?

Quantas preocupações e gastos não é mesmo ?

Não seria mais fácil ter um custo para cada componente utilizada e no final do mês pagar a fatura ? Igual fazemos hoje com Luz, Agua, Telefone, etc ?

Se o problema é custo, coloque na calculadora. Veja se o valor do investimento mensal em Cloud cobre os custos atuais de seu DataCenter.

Lembre-se que a adoção de uma solução de IaaS (Infraestructure as a Service), não apenas se o custo dos servidores é coberto pelo preço do serviço mensal, mas a manutenção, espaço físico, energia gasta, momentos de indisponbilidade, etc;

 


 

Como conclusão a pergunta do título do post: Cloud é só redução de custos ?

A resposta em minha opinião é NÃO !

Redução de custos com certeza é um dos fatores que contribuem para a adoção de Cloud. Porém ter um ambiente flexível, escalável, com alta performance, pouca preocupação e foco no negócio e não no operacional, isso sim a Cloud traz no seu DNA para a evolução da tecnologia.

d

 

Obrigado e abraços,


Thiago Viola
IBM Cloud Services Sales Representative
SoftLayer Subject Matter Expert

E-mail: thiagovola@yahoo.com.br
LinkedIn: br.linkedin.com/in/thiagoviola
Blog: https://thiagoviola.wordpress.com/
Twitter: @ThiViola
YouTube Channel: https://www.youtube.com/user/tviola87

VENOM Vulnerability – Minha Cloud exposta ? Qual o risco para sua nuvem ?

Olá Leitores, Boa Tarde.

Anteontem, no dia 13/05/2015, um comunicado de segurança designado CVE-2015-3456 / XSA-133 foi anunciada publicamente. Os responsáveis identificaram uma vulnerabilidade, que se tornou conhecido como “VENOM”, ou no português “VENENO”, o qual o invasor pode explorar através do suporte de driver de disquete no QEMU e assim escalar os seus privilégios.

A notícia foi publicada na mídia em diversos sites:

http://venom.crowdstrike.com/
http://www.thevirtualist.org/venom-vulnerability-cve-2015-3456-clouds-exposed/
http://cloudcomputingintelligence.com/item/2060-has-your-vm-got-a-floppy-vulnerability
http://xenbits.xen.org/xsa/advisory-133.html

Mas o que realmente essa vulnerabilidade pode causar de dano?

A vulnerabilidade é grave porque atravessa uma proteção de chave que muitos provedores de serviços em nuvem uso para separar os dados de um cliente de outro.
Se atacantes com acesso a um ambiente virtualizado pode escapar para o sistema operacional subjacente, poderiam potencialmente acessar todos os outros ambientes virtuais.

Como a invasão pode ser feita na prática ?

56

Quais os produtos que são afetados ?

O bug está no Controlador de disquete virtual do QEMU (FDC). Este código FDC vulnerável é usado em inúmeras plataformas de virtualização e equipamentos, tais como: Citrix Xen Server, KVM e QEMU client nativo.

No entanto, VMware, Microsoft Hyper-V, e “bochs” hypervisors não são afetados por esta vulnerabilidade.

Desde que a vulnerabilidade existe, o VENOM ataca a base de código do hypervisor, ou seja, a vulnerabilidade é agnóstico do sistema operacional hospedeiro (Linux, Windows, Mac OS, etc.).

Embora a vulnerabilidade VENOM também é agnóstico do sistema operacional convidado, um atacante (ou malware de um atacante) seria necessário ter privilégios administrativos ou de raiz no sistema operacional convidado para explorar VENOM.

Qual a posição dos provedores de Cloud ?

Ontem, 14/05/2015, as 18:05, a SoftLayer – IBM, comunicou de forma oficial a todos seus clientes que não dá danos para sua infraestrutura tal vulnerabilidade, o seguinte texto de forma completa:

System engineers, in concert with our technology partners, completed a deep analysis of the vulnerability and determined that our virtual servers are not affected by this issue.

We’re always committed to ensuring our customers’ operations and data are well protected

Outras empresas de Cloud publica como por exemplo a AWS – Amazon também já publicou oficialmente que não dá danos para sua infraestrutura tal vulnerabilidade.

O link na integra poderá ser conferido abaixo:
http://fortune.com/2015/05/13/amazon-says-its-cloud-not-bitten-by-venom-flaw/

Caso queiram buscar maiores detalhes o link a ser seguido é o seguinte: http://venom.crowdstrike.com/

Obrigado e abraços,


Thiago Viola
IBM Cloud Services Sales Representative
SoftLayer Subject Matter Expert

E-mail: thiagovola@yahoo.com.br
LinkedIn: br.linkedin.com/in/thiagoviola
Blog: https://thiagoviola.wordpress.com/
Twitter: @ThiViola
YouTube Channel: https://www.youtube.com/user/tviola87

TOP 5 do uso de Cloud Computing no ano de 2015

Olá Leitores, Bom Dia.

Quando falamos em nuvem, ela não é mais uma questão de futuro, é um elemento presente e essencial, o qual consegue da resposta às necessidades reais de negócios, agregando simplicidade e segurança e ajudando a acelerar a inovação e crescimento. Estes benefícios não podem ser ignorados !

Há cerca de 1 ano atrás a indicação para pequenas e médias empresas era de se considerar e incluir cloud nos planos de TI. Hoje, praticamente todas as pequenas e médias empresas dos Estados Unidos estão fazendo uso de nuvem, de uma forma ou de outra – e hoje o número está em 96%.

wpid-thumbnail-f9552a4d68e259bd85c4ec8a45a764d4-e1429104371179-500x257

De acordo com um relatório Techaisle, 2015 US SMB Cloud Computing Adoption Trends, analistas concordam que a nuvem não é mais uma tendência e as 5 aplicações aplicação mais convencionais de computação em nuvem no ano de 2015 é são:

1. Hybrid – A nuvem hibrida torna possível a comutação entre nuvens publicas ou privadas incompatíveis e ambientes tradicionais de TI para funcionarem de forma transparente e em conjunto.

2. Infrastructure – As empresas estão se aproveitando para escalar recursos computacionais sob demanda e evitar despesas extras. Tudo isso está acontecendo enquanto rapidamente pode se intensificar o uso de largura de banda adicional, ou armazenamento ou poder de processamento. Acesse a página da Cloud IBM SoftLayer.

3. Test & Development – Ambientes para se inovar rapidamente, testar e lançar novas aplicações e soluções, reduzindo o tempo de implantação de meses para horas ou mesmo minutos, em muitos casos. Mesmo as mais pequenas equipes de desenvolvedores estão criando aplicativos de negócios com facilidade e velocidade, ajudando-os a melhor servir o seu mercado e competir em escala global. Acesse a pagina da Cloud IBM PaaS – BlueMix.

4. Big Data and Analytics – A nuvem está capacitando qualquer tamanho de empresa para tirar proveito de grandes dados e analytics tecnologia sem pensar sobre a solução ser muito caro ou complexo. Agora, as empresas podem identificar os dados que são mais significativas para os seus negócios, analisar e agir de acordo com informações importantes.Acesse a pagina da Cloud IBM PaaS – BlueMix. – IoT, BigData, Watson, etc.

5. Mobility – A disseminação de soluções móveis baseadas em nuvem está ajudando os pequenos empresários fácil e acessível armar sua força de trabalho com os principais aplicativos e informações da empresa em movimento. Tendo os dados dos clientes de valor ou informações de inventário com o toque de um dedo ajuda a melhorar a eficiência e melhora relacionamentos com os clientes à medida que crescem seus negócios. Cloud IBM PaaS – BlueMix.

Obrigado e abraços,


Thiago Viola
IBM Cloud Services Sales Representative
SoftLayer Subject Matter Expert

E-mail: thiagovola@yahoo.com.br
LinkedIn: br.linkedin.com/in/thiagoviola
Blog: https://thiagoviola.wordpress.com/
Twitter: @ThiViola
YouTube Channel: https://www.youtube.com/user/tviola87

Citação

Mercado de Hybrid Cloud em 5 anos será de $84 bilhões

Olá Pessoal, Boa Tarde.

A empresa de pequisa e consultoria no mercado “Markets and Markets” estimou que o crescimento de Cloud Híbrida atingirá cerca de $84.670 milhões de dolares até 2019. O potencial de crescimento anual será de 27,3% entre 2014 à 2019.

O relatório, “Hybrid Cloud Market by Solution (Consulting, Cloud Integration, Cloud Management, Cloud Security, and Networking), by Service Model (IAAS, PAAS, and SAAS), by Region (NA, Europe, APAC, MEA, and LA) – Global Forecast to 2019”, acessivel para compra através do link, diz que este mercado está segmentado em modelos de implantação de sistema e serviço, vertical e região.

Numbers And Finance

A nuvem híbrida fornecerá soluções excelentes, como a integração, gerenciamento de nuvens, segurança, redes e consultoria para oferecer recursos altamente escaláveis que podem ser ajustados on-demand.

De acordo com o estudo de pesquisa em torno de 48% das empresa está planejando adotar sistemas de serviços de nuvem híbrida em um futuro próximo.

As principais características do modelo de Cloud Computing com nuvem híbrida é o das normas e serviços compartilhados, soluções empacotadas, self-service, escalável, preço baseado em uso, acessível através da Internet, tecnologias de interface do usuário padrão e serviços de publicação e API, o que resultará em uma maior eficiência uso de ativos de TI, maior agilidade para o lançamento de novos serviços e uma maior eficiência de custos.

O estudo também aborda algo bem importante que é …
Quais são os Maiores Desafios para o híbrido Mercado Cloud?

No estudo, os responsáveis da MarketsandMarkets também apontaram o que vão ser os maiores obstáculos para o mercado de nuvem híbrida e seu crescimento.

Os principais obstáculos para o mercado de nuvem híbrida provavelmente virá dos próprios consumidores e as questões de segurança de dados. Especialmente aqueles que envolvem o armazenamento de dados em nuvem crítica.

Naturalmente, restrições tecnológicas, tais como infra-estrutura precária é outro problema que o mercado de nuvem híbrida terá de lidar. Estes e muitos mais problemas estão parando muitas SMBs de adoptar soluções de nuvem híbrida.


A nuvem híbrida facilitará a migração de aplicações e serviços entregues através de SaaS através de outras ofertas de nuvem.

Atualmente gigante de TI como Cisco, Rackspace, HP, Microsoft, IBM, e outros são os vendedores como Amazon Web Services estão ativos e em busca do mercado de nuvem híbrida.

16458353260_1763af8a20_n

Esses fornecedores possuem capacidade de oferecem sistemas e serviços de nuvem para inúmeros setores, como serviços bancários, serviços financeiros e de seguros, saúde, telecomunicações e ITES, mídia & entretenimento, educação, energia, governo, manufatura, bens de consumo e varejo, pesquisa e serviços de consultoria e outros.

Em algumas semanas eu farei um post destinado as soluções da IBM na adoção de núvem híbrida em seu modelo tradicional e também baseada em Open Stack.

Obrigado e abraços,


Thiago Viola
IBM Cloud Services Sales Representative
SoftLayer Subject Matter Expert

E-mail: thiagoviola@yahoo.com.br
LinkedIn: br.linkedin.com/in/thiagoviola
Blog: https://thiagoviola.wordpress.com/
Twitter: @ThiViola
YouTube Channel: https://www.youtube.com/user/tviola87

Como movimentar meus dados para a Nuvem ?

Olá Leitores,

Através do canal de dúvida recebi uma questão muito pertinente encaminhada pelo Roberto Silva – o qual já aproveito para agradecer a interação.

A questão é simples porém a execução pode não ser.:
Como movimentar meus dados para a Nuvem ?

A resposta mais básica para essa questão é, através da Internet, selecione seus dados e movimente via FTP, ou via replicação de storage, ou via hypervisor, no entanto, todos esses modos você ficará ‘refém’ da velocidade da internet e da movimentação via TCP.

Mediante a esse cenário o que a IBM pode propor ?

Em Agosto de 2014 eu fiz um post – IBM SoftLayer agrega Aspera On Demand ao seu portfólio de Cloud, e esse justamente abordava uma ferramenta que consegue dimunir drasticamente o tempo de transmissão dos arquivos do on-premises para Cloud.

Mas como funciona o serviço Aspera on Demand for SoftLayer?
O Aspera On Demand for SoftLayer é um produto que provê a alta velocidade na transferência de arquivos através do protocolo Aspera’s FASP™.  Para que essa comunicação seja feita de forma efetiva é necessária a instalação de um client e de um server com o software do Aspera licenciado para a comunicação.

Vamos ao detalhes sobre o protocolo Aspera FASP …
Basicamente o Aspera FASP trata-se de uma tecnologia que elimina os gargalos fundamentais das tecnologias de transferência de arquivos que baseados em UDP, como FTP e TCP ou UDT, e drasticamente acelera as transferências através de redes IP públicas e privadas.

softlayereaspera

Como posso ter uma prévia da velocidade na transferência dos arquivos ?
Existe uma calculadora onde é possível inserir informações como velocidade, banda, tamanho de arquivo e assim ter uma prévia nessa transferência.

Por exemplo:
Transferir 1 TB, com uma banda de 100Mbps, enviando o arquivo do Brasil para o USA.
O tempo de transferência com o Aspera seria de: 1 Dia.
O tempo de transferência sem o Aspera seria de: 173 Dias.

asperatransf
Referência: http://asperasoft.com/performance-calculator/

Na prática:

O software do aspera trabalha no modelo client/server ou web/server e poderá ser facilmente entendido através de uma DEMO gravada e disponibilizada no YouTube.

Caso alguém tenham interesse, estarei a diposição.

Obrigado e abraços,


Thiago Viola
IBM Cloud Services Sales Representative
SoftLayer Subject Matter Expert

E-mail: thiagoviola@yahoo.com.br
LinkedIn: https://www.linkedin.com/pub/thiago-viola/35/969/893
Blog: https://thiagoviola.wordpress.com/
Twitter: @ThiViola
YouTube Channel: https://www.youtube.com/user/tviola87