Governo brasileiro cria manual para contratação de cloud

Olá Leitores, Bom Dia.

Recentemente o Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão divulgou um manual de boas práticas, orientações e vedações para contratação de serviços de cloud computing para os órgãos do governo brasileiro.

O manual possui forte recomendação aos órgãos que utilizem o modelo da ‘Nuvem Híbrida’, ‘Hybrid Cloud’, possibilitando a contratação de serviços que não comprometam a segurança nacional de fornecedores privados e ainda mantendo possíveis ambiente legados em cada uma das instituições.

AxiomIO-enterpriseprivatecloud

 

Outro ponto citado no documento define que dados devem ficar em data centers no Brasil para quer órgãos públicos se preservem em eventuais questões legais.

 

A notícia foi publicada pela Computer World, no dia 12 Maio, via link abaixo:
http://computerworld.com.br/governo-brasileiro-cria-manual


Eu acessei o documento de Orientações e Vedações para Contratação de Soluções de TI, onde possui o tema de Serviços em Nuvem publicado em 11/05/16.

Faço aqui meus principais apontamos para o tema .:

1. O serviço de Cloud deverá estar em conformidade com a norma ISO/IEC 27001.

2. Os 03 principais modelos de Cloud estão previstos: Software como Serviço (SaaS); Plataforma como Serviço (PaaS); Infraestrutura como Serviço (IaaS);

3. Os orgãos que não possuem infraestrutura de TI própria ou que necessitem renová-la ou amplia-la devem contratar Infraestrutura como Serviço (IaaS).

4. Exigência que e os dados e informações do contratante residam exclusivamente em território nacional.

5. DataCenter deverão estar comprovadamente aptos para no mínimo TIA 942 – TIER II, com padrão de SLA mínimo de 99,749%.

Dessa maneira os orgãos públicos terão pelo menos um ponto de entrada para o consumo de Cloud Computing.

Abraços,


Thiago Viola
Cloud Mid Market Sales Leader
SoftLayer Subject Matter Expert

E-mail: thiagoviola@yahoo.com.br
LinkedIn: br.linkedin.com/in/thiagoviola
Blog: https://thiagoviola.wordpress.com/
Twitter: @ThiViola
YouTube Channel: https://www.youtube.com/user/tviola87
Slide Share: http://www.slideshare.net/ThiagoViola

Anúncios

Qual workload escolher para começar uma Hybrid Cloud em sua empresa?

Leitores, Bom Dia.

Terceiro dia de InterConnect e aproveitei para aprofundar meus conhecimentos em algo que identifico como promissor e uma necessidade atual recorrente de muitas empresas brasileiras que buscam inovação, porém sem perderem o que possuem em seus ambientes on premises. Estamos falando de Hybrid Cloud !

Para fortalecer este post e o tema devo começar dizendo que o IDC [International Data Corp] prevê que mais de 80% das organizações de TI corporativos vão comprometer-se a adotar arquiteturas de Cloud híbrida em até 2017.

Como funciona ?

O modelo de hybrid Cloud trata-se de um ambiente de Cloud que permite combinar seus serviços no ambiente on-premises, cloud privada e cloud pública com orquestração entre estas plataformas.

Com maior flexibilidade e mais opções de implantação, o modelo de Hybrid Cloud pode levar a um menor custo total de propriedade e pode ajudá-lo a fornecer novos recursos ao  mercado de forma mais rápida.

fig1

 

Quais são as vantagens ?

O modelo de nuvem híbrida permite que a empresa mantenha o controle sobre seus ambientes de TI durante o envio workloads para a Cloud Pública por exemplo para tirar proveito de sua flexibilidade e escalabilidade. Vamos a mais vantagens:

  • Maior integração;
  • Visibilidade e controle dos recursos computacionais;
  • Segurança;
  • Portabilidade;
  • Gerenciamento de dados e governança.


Quais os workloads ?

As possibilidades quando se adota uma Cloud Hibrida são muitas e irei relatar aqui as principais o que os clientes estão escolhendo para este modelo de adoção. Vamos a elas:

h1
Independent workloads:

Adotando uma Hybrid Cloud você terá possibilidade de escolher onde cada workload se encaixa melhor, trazendo um alto nível de flexibilidade e para este modelo deve-se levar em consideração ítens como tipo de aplicação, modelo de acesso e característica de performance.

 

SOR-SOE Integration:h2

SOR = System of Records na Cloud Privada  e SOE = System of Engagement na Cloud Pública.

Este modelo se enquadra em empresas que possuem um alto nível de investimento realizado em seus ambientes on-premises e rodando o ‘core’ dentro da empresa e não abriram mão deste modelo, mas obrigatoriamente devem inovar e assim começar a criar novas aplicações já em uma Cloud Pública. Não devemos nos esquecer que este modelo exige integração entre ambos.


h3
Portability and Optimization
:

Este é o famoso transbordo, ou seja, estou utilizado por exemplo uma Cloud Privada mas precisarei de mais recursos computacionais para suprir tal necessidade. Adotando este modelo suas aplicações e dados deverão facilmente e rapidamente interagir entre public cloud e private cloud trazendo otimização.

A parceria entre Cloud IBM e VMWare trará este modelo com mais força para o mercado. Farei um post futuro abordando na prática este funcionamento.

 
h4
Hybrid Cloud brokerage and management

Para quem pensa em ter ou já tem a adoção de diversos modelos de Cloud como IaaS, PaaS ou SaaS, além de múltiplos providers de Cloud como IBM, SoftLayer, AWS, Azure, Oracle, etc, este modelo poderá trazer mais controle e segurança para o uso das aplicações.

 

 
h5

Backup and archive

Coloque essa conta na ponta do lápis e tenho convicção que você ficará tentado a começar a mover seus backups e archives para Cloud hoje mesmo. Continue rodando seu ambiente on-premises mas veja backups podem ser facilmente migradas e integrados em uma Cloud Pública. Aqui estamos falando de custos que giram em torno da casa de centavos de dolar. Além de redundância e criptografia em alto nível. Vale a pena!

 

h6
Capacity access

Está precisando testar uma nova aplicação mas não tem recurso computacional ? Precisa de alta performance para executar um teste ? Existem muitas situações que você precisa de um ambiente de forma rápida, fácil e prática para utilizar durante algumas horas e assim pagar por este uso.  Porque não adotar uma Hybrid Cloud já integrada a uma Public Cloud e trabalhar desta maneira ?

 

H7
Disaster Recovery

Assim como o ítem de backup e archive vou dizer para este, coloque na ponta do lápis quanto custa ter um DR em sua empresa vs ter um DR em uma Cloud. DR trata-se de um ambiente que precisa ficar de prontidão mas sabe-se lá quando você irá utilizá-lo. Porque não desenhar um modelo de adoção entre Cloud Privada e Publica reduzindo custos e preocupação entre ambos ?

 

Se como a maioria das empresas, você está tentando conduzir melhorias operacionais contínuas e sustentáveis que baixo custo e redução de complexidade, considere Hybrid Cloud.

O modelo de Hybrid Cloud da IBM por exemplo fornece recursos de baixo custo que equilibram segurança, escalabilidade, confiabilidade e flexibilidade.

Melhoramos significativamente sua capacidade de impulsionar a inovação, sem custos iniciais enormes, com escala e com o de mais atual em tecnologia.

Abraços,


Thiago Viola
IBM Cloud Services Sales Manager
SoftLayer Subject Matter Expert

E-mail: thiagoviola@yahoo.com.br
LinkedIn: br.linkedin.com/in/thiagoviola
Blog: https://thiagoviola.wordpress.com/
Twitter: @ThiViola
YouTube Channel: https://www.youtube.com/user/tviola87
Slide Share: http://www.slideshare.net/ThiagoViola

Gartner projeta que Cloud Pública movimentará bilhões em 2016

Olá Leitores, Bom Dia.

Ótimas notícias vindas do Gartner !

Segundo análise o mercado global de cloud pública atingirá nada menos do que US$ 204 bilhões ainda em 2016. A projeção do Gartner indica uma expansão de 16,5% sobre os US$ 175 bilhões que movimentados no ano anterior.

Um dos grandes impulsionadores será que o mercado irá evoluir em função das migrações de legados para um ambiente em Cloud.

O Gartner acredita que o grande crescimento projetado para 2016 virá de projetos de adoção de infraestrutura como serviço (IaaS), que devem avançar 38,4% sobre os números do ano passado. Esse segmento deve movimentar um total de US$ 22,4 bilhões até dezembro.

O tema Cloud Pública na IBM tem como base em IaaS e PaaS as soluções de SoftLayer e Bluemix. Com ambas podemos fazer a criação de novos ambientes voltados a inovação, digital social e mobile, porém conseguimos também atingir aqueles clientes que desejam trazer seus servidores, aplicações e ambientes para Cloud Pública.

A IBM sendo líder Hybrid Cloud traz ínumeras vantagens e tem um ótimo expertise em desenhar um planejamento bem acertivo para escolha do melhor modelo entre cloud pública, privada ou até uma hibrida.

Veja na figura abaixo que idependentemente do modelo de cloud ou dos recursos computacionais utilizados a IBM conseguirá lhe atender.
Screen Shot 2016-02-07 at 12.28.57 AM

 

Referência: http://computerworld.com.br/gartner-projeta-que-cloud-publica-movimentara-us-204-bilhoes-em-2016

Obrigado,


Thiago Viola
IBM Cloud Services Sales Manager
SoftLayer Subject Matter Expert

E-mail: thiagoviola@yahoo.com.br
LinkedIn: br.linkedin.com/in/thiagoviola
Blog: https://thiagoviola.wordpress.com/
Twitter: @ThiViola
YouTube Channel: https://www.youtube.com/user/tviola87
Slide Share: http://www.slideshare.net/ThiagoViola

Cloud Pública está gerando $20 bilhões em renda

Olá Leitores, Bom Dia.

De acordo com uma recém pesquisa feita pela Synergy Research Group a Cloud Pública está gerando uma receita em torno de $ 20 Bilhões em renda.

Os modelos de Cloud mais rentáveis ​​para as empresas de TI é a venda de ofertas de IaaS, PaaS, SaaS e para clientes empresariais, de acordo com o Synergy Research Group.

Este mercado está avaliado em cerca de $12 bilhões, com mais $10 bilhões sendo gerado por empresas fornecedoras de hardware, software e instalações de Data Center para provedores de Cloud pública .

O gráfico abaixo mostra o crecimento de renda dos principais provedores nos últimos 7-8 anos…

dci_chart

Serviços em nuvem têm tido um crescimento fenomenal em relação ao ano passado, com os serviços de IaaS e PaaS crescendo em quase 50% e SaaS por 29%.

Public_cloud_Q215

Isso está em contraste com os cinco por cento de crescimento ano-a-ano visto em todo o resto da indústria de TI, apesar de Cloud ainda estar em uma fase inicial do seu desenvolvimento.

Veja o conteúdo na integra através do link abaixo:
https://www.srgresearch.com/articles/public-cloud-generating-over-20b-quarterly-revenues-it-companies

Obrigado e abraços,


Thiago Viola
IBM Cloud Services Sales Manager
SoftLayer Subject Matter Expert

E-mail: thiagovola@yahoo.com.br
LinkedIn: br.linkedin.com/in/thiagoviola
Blog: https://thiagoviola.wordpress.com/
Twitter: @ThiViola
YouTube Channel: https://www.youtube.com/user/tviola87
Slide Share: http://www.slideshare.net/ThiagoViola

Nota

DataCenter SoftLayer México: Primeiras impressões e $500 OFF.

Bom Dia Amigos Leitores,

O post no domingo dia (21/12) era para informar que os DataCenters do Mexico, Tokyo e Frankfurt seriam lançados na semana e dentro do mês de Dezembro de 2014.

Com o lançamento ontem (22/12) do DataCenter do México, aproveitei para provisionar uma instância virtual e assim tirar minhas primeiras impressões.

mexicoPara quem não se recorda o passo, segue uma sequencia bem básica do step by step para provisionar uma instância virtual.

sl3 sl4 sl5 sl6 sl7 sl8 sl9 sl10 sl11 sl12

Primeiras Impressões:

1. O código promocional: 500MEX, para consumir $500 dolares em recursos no modelo mensal até a data 31/03/2015 funcionou normalmente.

2. Qualquer recurso computacional no Mexico tem um acréscimo de 12% no mês referente ao custo do consumo;

3. O provisionamento de uma instância com 1vCpu, 1GB Ram, 25 Disco SAN, Linux Cent OS 7.x 64 Bits e MySQL levou APENAS 3 minutos e 23 segundos. Sistema Operacional, IP Publico pingando e MY SQL instalado, pronto para uma conexão SSH. Tempo extremamente satisfatório.

4. Com relação a latência entre DataCenters SoftLayer o resultado foi bem positivo. Testando o ping entre um equipamento no DC de Washington e no DC do Mexico a média foi de 55 ms e o máximo foi de 64 ms.

5. A latência entre Brasil e DataCenter SoftLayer do México também teve resultados satisfatórios. No teste que executei eu estava trabalhando de forma remota com uma conexão de 100 MB. No tracert até o destino tivemos 10 hops e uma latência na média de 150 ms.

É isso pessoal !!!

Venha para a Cloud IBM SoftLayer. Aproveitem para testar recursos como equipamento Bare Metal, Storage, Firewall, Load Balancer entre outros.

Caso tenham alguma dúvida ou queriam algum auxílio fico a disposição.

Abraços,


Thiago Viola – IBM Cloud Service Sales Representative
E-mail: thiagoviola@yahoo.com.br
LinkedIn: https://www.linkedin.com/pub/thiago-viola/35/969/893
Blog: https://thiagoviola.wordpress.com/
Twitter: @ThiViola
YouTube Channel: https://www.youtube.com/user/tviola87

Status

Object Storage – Armazenando seus arquivos na nuvem – Parte II [Prática]

Olá Leitores,

A alguns meses atrás fiz o post sobre o Object Storage e algumas abordagens de teoria.

Hoje relatarei a prática efetiva para que vocês possam colocar seus respectivos arquivos na núvem.

Basicamente o Object Storage trata-se de um repositório para seus arquivos, levando para o nosso dia a dia podemos fazer uma comparação com DropBox, Google Drive, Amazon S3, Glacier, etc.

Object Storage foi desenvolvido para archive e gerenciamento de multiplos dados a um custo extremamente acessível, apenas $0.03 (Três centavos de dolar) por GB/mês.

Baseado no padrão Open Stack, armazenamento de objetos a SoftLayer oferece um robusto e altamente escalável de armazenamento baseado em objetos a qual a solução é ideal para o armazenamento de dados estáticos, tais como:

  • Arquivos, Fotos, Videos, Mídias, etc.
  • Snapshots de Máquinas Virtuais;
  • Email Storage e archiving;

Sabendo das abordagens acima, vamos a execução prática.

Como contratar ?

1. Acessar o painel de controle da SoftLayer.

obj1

2. Através do menu Storage selecionar Object Storage.

obj2

3. Ao lado direito superior clicar sobre Order Object Storage.
obj3

4. Confirmar a contratação pressionado Continue e após Place Order.

obj4obj5

Após a confirmação da contratação do recurso computacional será apresentado uma referência para o armazenamento dos arquivos.

 

Como acessar e colocar meus arquivos na núvem?

1. Na tela do Storage > Object Storage será apresentado o repositório criado.

obj6

2. Clique sobre o repósitório e nessa etapa você deverá selecionar qual o DataCenter em que o dado ficará armazenado.

obj7

3. Com a seleção do DataCenter você já estará dentro do Object Storage e deverá fazer a criação de um Container que será o diretório base para inserção dos arquivos.
Clique sobre Add a Container e insira um nome.

obj8

4. Com a criação do Container você estará pronto para colocar seus arquivos na núvem.
Clique sobre o nome do Container

obj9

5. Clique sobre o Add Files ou Add Folders para comerçar a inserir os arquivos na núvem da IBM SoftLayer.

obj10obj11

6. Após a inserção dos arquivos você poderá controlar a quantidade, tamanho, versionamento, CDN dos dados inseridos na núvem.

obj12

No próximo post abordarei sobre o uso de ferramentas que facilitam a inserção e o manuseio dos arquivos na núvem da IBM SoftLayer.

 

Quanto Custa ?

  • Object Storage                           $0.04/GB/mês
  • Public Outbound Bandwidth       $0.10/GB/mês

Esclarecendo algumas dúvidas sobre o Public Outbound BandWidth.

1. Não há custo para levar os arquivos para a núvem.
2. O custo para manter os arquivos na núvem o custo é de $0.04/GB/Mês.
3. O custo para download dos arquivos na núvem sofrerá o custo de $0.10/GB/Mês.

Ou seja, se você levar 10GB para a núvem o custo será de U$0.40 por mês.
E se caso você quiser retirar esses 10GB da núvem terá um custo de U$1.00.
Custo total de U$1.40.

Quais os detalhes que devo me atentar ?

  • 5 GB é o tamanho máximo por arquivo.
  • Observe em qual DataCenter da SoftLayer / IBM esse serviço está publicado e disponível para uso.
  • Trata-se de um serviço Clustered backend, ou seja, internamente nos DataCenters há uma replicação entre no mínimo 3 (três) servidores de seus dados, garantindo assim integridade e disponibilidade.

 

Caso tenham dúvidas me avisem.

Referencia: SoftLayer Object Storage

Obrigado e abraços,


Thiago Viola – IBM Cloud Representative
E-mail: thiagoviola@yahoo.com.br
LinkedIn: https://www.linkedin.com/pub/thiago-viola/35/969/893
Blog: https://thiagoviola.wordpress.com/
Twitter: @ThiViola
YouTube Channel: https://www.youtube.com/user/tviola87

BlueMix PaaS – A plataforma de serviço da IBM baseado na SoftLayer

Boa Noite Leitores,

Hoje falaremos sobre o BlueMix que é o PaaS (Platform as a Service) da IBM.

PaaS – é um modelo de entrega de serviço onde os prestadores agregam a infra-estrutura assim como o middleware (bancos de dados, mecanismos de mensagens e assim por diante) e disponibilizando aos desenvolvedores um “ambiente” de construção de aplicativos, desenvolvimento e implantação.

Devo ressaltar também que o BlueMix está totalmente baseado na IaaS (Infrastructure as a Service) da SoftLayer, mostrando mais uma vez a organização e confiabilidade de ambas as soluções.

Então vamos lá, descobrir o que verdadeiramente é o BlueMix.:

O BlueMix trata-se de uma plataforma cloud baseada em padrões abertos, desenvolvida para a construção, gerenciamento e execução de aplicações de todos os tipos. Isso incluí aplicações Web e Mobile, além de soluções de big data.

O que o BlueMix tem de diferente?

Temos diversos recursos, serviços e detalhes que nos tornam diferente, irei relacionar os principais.

1. BlueMix é baseado em Cloud Foundry que é novo ambiente de padrão aberto onde os desenvolvedores terão o código disponível para a migração entre provedores que adotarem tal recurso.

2. Adoção de linguagem de programação e frameworks usuais como: Android, iOS, HTML/Java Script, Java, Ruby, PHP, etc.

3. RunTimes Suportados (.Java, .JS, .RB, Bring your BuildPack (PHP por exemplo);

4. Web interface (UI) para interagir diretamente com os serviços.

5. Oferecimento de mais de 200 softwares e middleware disponibilizadas pela IBM e/ou parceiros.

6. BlueMix DevOps que é um local onde você poderá trabalhar com seu código e assim transformar uma idéia em uma aplicação de forma mais rápida.

7. Auto Scale para trabalhar com um escalonamento rápido de sua aplicação.


Como é a arquitetura do BlueMix ?

IBM-BlueMix

Quais são as ferramentas que posso utilizar em conjunto com o BlueMix?

Cloud Foundry tem uma ferramenta chamada de cf command line interface a qual você pode utilizar para modificar suas aplicações, iniciar serviços e fazer deploy de suas aplicações para o BlueMix. Você poderá fazer o download e executar o instalador para ter uso da ferramenta. Alguns comandos que podem ser utilizados, exemplos:

Getting started
• cf target [url]: Set the instance target where your app will be pushed.
• cf login [account]: Log in to the target.

Applications
• cf apps: Display the list of deployed applications with their status.
• cf push [name]: Push an application.
• cf start APPS: Start an application.
• cf stop APPS: Stop an application.
• cf restart APPS: Restart an application.
• cf env [app]: Show all environment variables set for an application.
• cf logs [app]: Show logs of an application.

Services
• cf services: List all of your created services.
• cf create-service [offering][name]: Create a service.
• cf bind-service [service][app]: Bind a service to an application.


IBM BlueMix ACE
trata-se de uma web console a qual ajuda no gerenciamento de suas aplicações. O dashboard view provê algumas maneiras de gerenciar suas aplicações e serviços. As aplicações sumarizam informações como nome, URL, status, runtime e serviços.

IBM DevOps Service provê diferentes mêtodos para você desenvolver o código e facilmente construir e fazer o deploy de suas aplicações.
Veja detalhes adicionais nesse link.

 

Acesse agora mesmo o BlueMix e tenha dias FREE para criação, uso e teste de sua aplicação.

Obrigado e abraços,


Thiago Viola – IBM Cloud Representative
E-mail: thiagoviola@yahoo.com.br
LinkedIn: https://www.linkedin.com/pub/thiago-viola/35/969/893
Blog: https://thiagoviola.wordpress.com/
Twitter: @ThiViola
YouTube Channel: https://www.youtube.com/user/tviola87