Status

Tecnologia: O que esperar para 2018 ?

Olá Leitores, Bom Dia.

No ano passado percebemos que as empresas começaram a impulsionar ambientes integrados, buscando a montagem de arquiteturas com aplicações existentes como uma forma de acelerar a inovação. Agora, chegamos em 2018 acompanhados de grandes avanços em tecnologias disruptivas que estão mudando cada vez mais a paisagem da TI.

O Gartner já projetava um crescimento de 4% para o setor de tecnologia da informação em 2018. Em relação a valores, a estimativa é que os gastos globais das empresas com TI totalizem US$ 3,7 trilhões em 2018 – um aumento de 4,3% em relação aos US$ 3,5 trilhões estimados para 2017.

Quanto às tendências de tecnologia para 2018 ?  Vamos a elas:

Inteligência Artificial (AI)

O amadurecimento e crescimento deste tema trará as empresas a possibilidade de cada vez mais criar sistemas que aprendem, adaptam-se e atuam de forma autônoma para a tomada de decisões.

As APIs para os dados serem trabalhados assim como a análise deles estão se tornando cada vez mais acessíveis, permitindo a adoção dessas tecnologias por negócios convencionais que buscam tomar decisões melhores e mais rápidas.

O uso de IA aplicado no processo de tomada de decisões, renovação de processos e modelos de negócio com certeza será peça chave para inovar o relacionamento com clientes.

artificial-intelligence-2167835_1280

 

Cloud Computing (Adoção em massa)

Cloud já é uma realidade a tempos mas temos visto uma certa morosidade nas organizações para a adoção em massa desta tecnologia.

Quando coloco Cloud Computing (Adoção em massa) estou certo que este ano teremos uma forte crescente. Se olharmos para traz, veja quantas barreiras já superarmos: riscos de segurança, privacidade de dados, implementação de ambiente, migração de aplicação, dificuldades em entendimento de TCO e ROI.

Agora estamos em outra fase, o forte investimento de grandes empresas como IBM, Google, AWS, Oracle, Microsoft faz com que o mercado amadureça e entenda que Cloud já é a realidade necessária para seu negócio.

Em geral,o uso de Cloud Publica, Hibrida, Privada, MultiCloud e qualquer que seja sua modalidades IaaS, PaaS ou SaaS, fará com que médias e grandes empresas além das instituições do governo finalmente abrirão as portas para Cloud.

cloud em massa

 

Blockchain

Em sua última pesquisa o Gartner afirmou que Blockchain é uma das tendências de TI que deve evoluir significativamente nos próximos dois ou três anos.

No ano passado já percebemos a formação de algumas  ‘cadeias’  de negócio e à medida que esses pilotos e provas de conceito amadurecem, teremos uma evolução natural onde esses ambientes caminharão em direção a sua produção.

O Blockchain sendo um sistema que registra todas as transações logo trará ferramentas poderosas para automatizar operações e processos nos negócios, e eles se tornarão facilitadores de produtividade para empresas que buscam aproveitar a tecnologia.

currency-3077534_1280

 

IoT (com inteligência)

2018 acontecerá um avanço significativo e quantitativo na incorporação de IoT em veículos, organizações, casas e cidades conectadas. Em breve estima-se que haverá 100 bilhões de dispositivos conectados e, rapidamente, 1 trilhão.

Quando coloco no título IoT (com inteligência) quero dizer que a magnitude da combinação de dados, com o poder de processamento, alinhado com o poder da Inteligência Artificial, vai ajudar as máquinas a orquestrarem melhor os recursos físicos e humanos.

O alinhamento entre Cloud, IoT e AI de acordo com um relatório publicado pela IDC, teremos um crescimento de 40% nos investimentos na América Latina, onde o mercado brasileiro tem grande participação.

iot

 

Caso tenham interesse a pesquisa do Gartner com os executivos de tecnologia de informação do mundo todo para mapear as tendências do mercado de TI nos próximos anos e verificar quais são os desafios enfrentados pelos profissionais do setor, pode ser encontrada neste LINK.

 

Obrigado e abraços,


Thiago Viola
Head of Watson and Cloud Digital Sales Brazil
SoftLayer Subject Matter Expert

E-mail: thiagoviola@yahoo.com.br
LinkedIn: br.linkedin.com/in/thiagoviola
Blog: https://thiagoviola.wordpress.com/
Twitter: @ThiViola
YouTube Channel: https://www.youtube.com/user/tviola87
Slide Share: http://www.slideshare.net/ThiagoViola

Anúncios
Status

2016 – O ano em que Cloud Computing se tornou popular !

Olá Leitores, Bom Dia.

Estamos encerrando mais um ano, 2016 foi com certeza o ano em que Cloud Computing teve um belo amadurecimento e crescimento em níveis de popularidade, consumo e entendimento no mercado Brasileiro e por isso merece um post de encerramento.

Devo começar dizendo que o principal motivo que tornou Cloud Computing mais conhecido e popular foi a mudança em que o mundo sofreu. SIM, vivemos hoje em mundo totalmente digital, que pede empresas mais ágeis, produtos interligados na internet, aplicativos com vida online, rapidez em correções e atualizações, qualidade e preços altamente competitivos.

Vale uma menção do meu vídeo de Ligado na Nuvem l O Futuro da TI mora na Nuvem . onde demonstro como a tecnologia está transformando cada vez mais a maneira com que nos comunicamos, consumimos e fazemos negócios. Tecnologia é a base da operação das empresas, da produção e do atendimento satisfatório aos clientes.

business woman hand working on smart phone and laptop computer a

Segurança e confiabilidade dos ambientes de TI em Cloud hoje já são fatos consumados, o grau de maturidade e entendimento conforta as empresas a mergulharem em seus provedores escolhidos e criarem seus ambientes sem medo de errar.

Falando de provedores … a presença de DataCenters local de multinacionais como IBM, Amazon[AWS], Microsoft [Azure] e a promessa futura de Oracle e Google endossam cada vez mais um mercado altamente competitivo.

Investimentos em telecomunicações para fortalecer o uso de Internet começa a deixar de ser  um fantasma e a oferta de ambientes em Cloud de forma massificada por empresas começam a se tornar tecnicamente e financeiramente cada vez mais viável.

digital composite of hand holding smartphone with vignettes

Em paralelo, a tudo isso HW e SW se tornam cada vez menos atrativos devido a gastos indiretos como manutenção, suporte, atualização, depreciação, etc. A situação econômica leva naturalmente as empresas a repensarem suas estratégias e romperem paradigmas para atingir a estratégia de redução de custos, mas dessa vez com qualidade.

Por outro, lado vimos alguns conceitos novos surgirem e outros que tomaram força como.: MultiCloud, Cloud Hibrida, Fog Computing, Watson [Cognição], BlockChain e outros – vale a pena a pesquisa e a leitura.

Sendo assim fica evidente que a necessidade em estar no ‘novo mundo’ faz com que as empresas se preocupem cada vez mais com o negócio e focando em ter tecnologia como base para toda essa transformação.

Em meu ponto de vista ainda temos alguns desafios que devem ser melhor esclarecidos, desmistificados e aprimorados para 2017.:

  • Compra de Hardware vs CLOUD – Pode parecer uma simples comparação, mas não é! Ainda sinto que algumas empresas preferem fazer investimento em HW ao invês de parar, pensar e realmente encontrar as reais vantagens deste novo mundo. Precisamos sempre criar um ROI e um TCO bem profundo analisando criteriosamente cada um dos recursos utilizados para que se tenha tecnologia de ponta e assim se provando que Cloud é em sua grande maioria a melhor alternativa.

 

  • Workloads considerados produção são para Cloud SIM ! Workloads como SAP, VMWARE, ORACLE, TOTVS, ERPs, CRMs em geral, – já são em realidade em Cloud. Por todas as vantagens já citadas e pela crescente maturidade de cloud com segurança, performance e valores temos como aceitação estratégica para estes pontos.

 

  • Mundo de IaaS e PaaS – Como devo dar o próximo passo ? Aqui também está um grande desafio que no 2 semestre de 2016 encontrei em algumas empresas enfrentando. Como partir de um mundo onde tocamos infraestrutura e passamos a desenvolver aplicações totalmente conectada em RunTimes, DevOps, GitHub, serviços mobile, etc será um grande desafio em 2017.

 

  • Vou para Cloud mas e a Internet ? E o Link ? Finalmente a questão de telecomunicação finalmente deixou de ser um fantasma. Hoje ter um link ou até mesmo depender da Internet com VPN vem sendo utilizada de forma massificada por empresas e tornou-se uma solução viável.

 

c30128ffb30922a3618b84829c8cca3c

 

Os próximos anos são promissores, tenha certeza disso, o Gartner publicou alguns estudos

que apontam  investimentos das empresas brasileiras em Cloud para 2017 devem chegar a US$ 4,5 bilhões, e até 2020 devem atingir  US$ 20 bilhões.

 

 

Obrigado e abraços,


Thiago Viola
Cloud Mid Market Sales Leader
SoftLayer Subject Matter Expert

E-mail: thiagoviola@yahoo.com.br
LinkedIn: br.linkedin.com/in/thiagoviola
Blog: https://thiagoviola.wordpress.com/
Twitter: @ThiViola
YouTube Channel: https://www.youtube.com/user/tviola87
Slide Share: http://www.slideshare.net/ThiagoViola

 

Status

Nascer em Cloud é totalmente diferente de migrar para ela.

Olá Leitores, Bom Dia.

Tudo bem ?

A atual incerteza que rodeia o desenvolvimento e a adoção de tecnologias emergentes (como Cloud), significa claramente que o mercado está amadurecendo para os reais desdobramentos das transformações digital e se preparando para um mundo totalmente conectado e pronto para as novas inovações futuras.

O tema ‘Nascer em Cloud é totalmente diferente de migrar para ela‘, é algo corriqueiro que tenho acompanhado em muitas visitas e reuniões com clientes, e devo afirmar que é mesmo – Mas Porque ?

Quando observamos empresas novas como NETFLIX, UBER, AIRBNB que são fonte de estudo e de exemplos atualmente, claremente notamos que essas NASCERAM já em um novo modelo de negócio e consequentemente requisitam por tecnologias que atendam e acompanhem a demanda. Digamos que a tarefa de criar um ambiente, testar, errar com rapidez é algo tratado com naturalidade neste mundo.

c0fa53775cbd96fec56b427302e65861

Quando olhamos para o lado e notamos empresas que nasceram em um mundo com seus ambientes On-Premises, Hosting, Colocation, OutSourcing, aí o papo já é outro. Ir para Cloud não é uma tarefa simples – e realmente não é por conta de fatores técnicos em seus ambientes como LEGADO, ERP, CRM, Virtualização, Segurança, REDE, Storage, etc. Como ir para CLOUD com tudo isso ?

img_20150612_105808

Naturalmente vejo muitos executivos falando por transformação mas poucos deles ainda as executam na prática e acabando tropeçando em erros casuais e na famosa zona de conforto.

Mas a questão de empresa antiga ou nova não é decisivo, nascer em Cloud ou migrar para ela tem total sentido com a real necessidade de transformação de sua empresa.

Empresas que NASCEM em Cloud, levam uma vantagem embasado por 03 princípios:

1.) VELOCIDADE: Ao contrário de um ambiente de TI tradicional que para ficar pronto levá meses, em Cloud estamos falando de minutos ou até horas para estes estejam prontos para uso.

Tendo um bom plano, é muito provável que a sua companhia cresça rapidamente. Porém, se a sua empresa possui a infra-estrutura de tecnologia dentro de casa, baseada em servidores físicos, é possível que os seus planos de crescimento sejam impactados pelos prazos de upgrade de servidores e migrações de infra-estrutura.

O crescimento e uso de aplicativos e aplicações WEB crecem em ritmo exponencial e não linear. Este com certeza é o resultado de um mundo profundamente conectado em que vivemos.

2.) ESCALABILIDADE.:  A escalabilidade rápida e imediata é mais uma das vantagens de Cloud, deixando o seu negócio bem mais flexível. Afinal, a partir de Cloud, não será preciso se preocupar com mudanças rápidas no negócio, pois o ambiente acompanha o ritmo de desenvolvimento da organização.

Realmente não importa se a sua empresa é pequena, média ou grande, a qualquer momento será possível fazer um “upgrade” ou “downgrade”. Assim, não será preciso pausar o trabalho para comprar novos servidores, storages, devices em geral e assim esperá-los chegar e futuramente — talvez — deixá-los ociosos.

3.) IMPACTO SISTEMICO.:  Embora muitos C-LEVEL acreditem que Cloud envolva muitos detalhes, problemas e riscos – na realidade ela pode e será uma grande aliada para a manutenção e transformação do seu negócio. Lembre-se que Cloud traz sempre as melhores práticas e tecnologias para que você possa com alguns clicks inovar.

Por outro lado e por fim, as mudanças para quem quer MIGRAR para Cloud são profundas mas encare como algo promissor e realizador. O maior ponto de atenção e justamente orientar os tomadores de decisão a não optarem pelo pensamento tradicional, linear, sem ruptura e assim serem absorvidos por preocupações imediatas. Migrar para cloud exige um pensar de forma estratégica sobre as forças de ruptura e inovação para que moldam e estejam preparadas para o futuro.

business-entity-art

Obrigado e abraços,


Thiago Viola
Cloud Mid Market Sales Leader
SoftLayer Subject Matter Expert

E-mail: thiagoviola@yahoo.com.br
LinkedIn: br.linkedin.com/in/thiagoviola
Blog: https://thiagoviola.wordpress.com/
Twitter: @ThiViola
YouTube Channel: https://www.youtube.com/user/tviola87
Slide Share: http://www.slideshare.net/ThiagoViola

Status

Era uma vez SoftLayer … agora é Cloud IBM BlueMix.

Olá Leitores,

O mundo em Cloud é dinâmico e o uso de InfraEstrutura (IaaS) e Plataforma (PaaS) devem estar convergidos e atuando juntos, não tem jeito! Era questão de tempo para que a IBM torna-se 02 plataformas (SoftLayer e BlueMix) em apenas 01 só, e isso agora é realidade!

Hoje, compartilho com vocês o próximo grande passo na evolução da SoftLayer como parte do portfólio da IBM Cloud. O objetivo do IBM Bluemix agora será integrar produtos e serviços SoftLayer em seu vasto catálogo de serviços de infraestrutura, plataforma e aplicação!

Os SoftLayer produtos, serviços, ferramentas e sistemas  trarão uma experiência de cloud Bluemix unificada que proporcionará desempenho, flexibilidade e consistência da infra-estrutura SoftLayer, junto ao extenso catálogo de BlueMix que incluem serviços IBM Watson , RunTimes, Containers,  Database as a Service e muito mais.

Vamos ao mundo real … O que vai mudar para você cliente SoftLayer?

Nos próximos dias, semanas e meses, você começará a ver “Bluemix” mais e mais onde você está acostumado a ver “SoftLayer.” As ofertas de SoftLayer e ofertas de Bluemix estarão disponíveis a partir de uma plataforma de Cloud unificada, sob a marca Bluemix.

softlayerbluemix

Devemos lembrar que essa transição aconteça aos poucos e que todos os sistemas, produtos, serviços e suporte SoftLayer que vocês conhecem vão permanecer como blocos de construção fundamentais sobre os quais o catálogo do Bluemix serão construídos.

Qual é o passo a passo .. e o que está ocorrendo agora ?

  • Para os próximos meses todas as ofertas de SoftLayer estarão disponível em ambos portais: SoftLayer.com e IBM.com/Bluemix e isso significa que você pode utilizar produtos e serviços idênticos em ambos local, e eles vão ser implantadas nos mesmos DataCenters e gerenciados nos mesmos sistemas.

  • Você ainda tem acesso ao seu portal de controle SoftLayer (Control.SoftLayer.Com) para gerenciar seu ambiente de infraestrutura;

  • Você poderá criar seu IBMid Authentication e começar a desfrutar desta nova integração – via (https://console.bluemix.net/);
  • Você poderá consumir serviços e obter apenas uma fatura, a integração do Billing já está realizada ;
  • As equipes de suporte para todas as plataformas permanecerá exatamente os mesmos.

screen-shot-2016-10-24-at-9-35-58-pm

Por hoje é só., sejamos felizes com IBM BLUEMIX.

Obrigado e abraços,


Thiago Viola
Cloud Mid Market Sales Leader
SoftLayer Subject Matter Expert

E-mail: thiagoviola@yahoo.com.br
LinkedIn: br.linkedin.com/in/thiagoviola
Blog: https://thiagoviola.wordpress.com/
Twitter: @ThiViola
YouTube Channel: https://www.youtube.com/user/tviola87
Slide Share: http://www.slideshare.net/ThiagoViola

Status

Café da Manhã – Business Process Transformation

Olá Leitores, Boa Tarde.

Querem saber quais são os verdadeiras desafios que a transformação digital traz para o modelo operacional da empresa ?

A IBM realizará um café da manha abordando um tema no dia 19/10 das 08h30 as 12h30, na Praça São Lourenço. A entrada e gratuita e clientes podem realizar a inscrição através do link a seguir: https://ibm.biz/cafeBPT

m1

Obrigado e abraços,


Thiago Viola
Cloud Mid Market Sales Leader
SoftLayer Subject Matter Expert

E-mail: thiagoviola@yahoo.com.br
LinkedIn: br.linkedin.com/in/thiagoviola
Blog: https://thiagoviola.wordpress.com/
Twitter: @ThiViola
YouTube Channel: https://www.youtube.com/user/tviola87
Slide Share: http://www.slideshare.net/ThiagoViola

Status

MultiCloud – Estamos preparados?

Olá Leitores, Bom Dia.

Essa semana um dos assuntos mais comentados que acompanhei para Cloud foi a questão do ‘MultiCloud’, e como este modelo pode auxiliar as empresas a entrarem e crescerem seu uso e consumo no mundo de tecnologia.

Começo apontando que há uma forte expansão e em ritmo acelerado na adoção de todos os modelos de Cloud (públicas, privadas e híbridas) implicando em novos modelos de consumo de TI para as empresas. Vejo que este crescimento se reflete principalmente pela necessidade das empresas entrarem de vez na transformação para o mundo digital.

multicloud

Mas como o MultiCloud entra neste contexto ?

O objetivo do MultiCloud é entregar a melhor composição de cada provedor, dando ao cliente a possibilidade de trabalhar e escolher o que melhor lhe atende principalmente quando falamos diretamente do mundo de IaaS, onde claramente teremos valores de servidores, ofertas diferenciadas, etc.

Agora vamos a realidade …
Hoje muitas empresas estão em busca de redução de despesas, de agilidade e flexibilidade para criação de novos modelos de negócio, melhoria de segurança e principalmente redução da complexidade no gerenciamento da TI.

01wtifeaturecloudcomputercooperationistockphoto-1388082861527

 

Os benefícios de MultiCloud são evidentes, as empresas escolheriam o melhor provedor por sua características, valores, custos, conformidades e assim encaixando um mundo ‘MultiCloud’ em pleno funcionamento, é um baita negócio !!!

 

Mas vamos a algumas considerações – ítens acimas são extremamentes relevantes, mas me preocupa o fato da redução da complexidade no gerenciamento da TI. Este eu devo indicar que deve ser avaliado com bastante ‘carinho’.

Se observarmos que Cloud tem que trazer um modelo de TI ágil, fácil, flexível e dinâmico fico me perguntando se tivermos 2,3,4 ou até 5 provedores diferentes para cada empresa como seria o dia a dia ?  Talvez a resposta mais óbvia seria: Adote um PORTAL ÚNICO.

Mas vamos mais a fundo na preocupação do dia a dia de um adminstrator de TI tendo que gerenciar múltiplos portais (SoftLayer, AWS, Google, Azure), cada um com suas características de Firewall, Vpns, Vlans, Subnets, segmentos, links direto, servidores físicos, virtuais, templates, OpenStack, Container, Virtualizadores, Sistemas Operacionais, storage, etc .. UFA!

Os detalhes acima conduzem o assunto diretamente focado  em InfraEstrutura, mas ainda existem as considerações para a interoperabilidade, o faturamento, as limitações, o SLA, a governança, as características – Como ficaria tudo isso ?

ku-xlarge

Penso que o atual cenário das empresas no Brasil ainda nos remete a um ambiente  OnPremises, Hosting e até um Colocation onde as empresas estão iniciando sua movimentação e entendimento para o mundo Cloud.

Temos que ter uma visão bem clara que nascer em Cloud é uma coisa – movimentar seu ambiente para Cloud é completamente outro.

Por todos os motivos listados entendo que o conceito de Cloud Hibrida fará muito sentido nos próximos anos até chegarmos  no conceito de MultiCloud.

Por fim, minha percepção é que devemos ter um modelo realmente agnóstico, mas o grau de maturidade das empresas influênciará diretamente na adoção ou não adoção para MultiCloud..

Obrigado e abraços,


Thiago Viola
Cloud Mid Market Sales Leader
SoftLayer Subject Matter Expert

E-mail: thiagoviola@yahoo.com.br
LinkedIn: br.linkedin.com/in/thiagoviola
Blog: https://thiagoviola.wordpress.com/
Twitter: @ThiViola
YouTube Channel: https://www.youtube.com/user/tviola87
Slide Share: http://www.slideshare.net/ThiagoViola

Status

Gartner 2016 – Quadrante Mágico de Cloud IaaS.

Olá Leitores, Bom Dia.

Exatamente a 01 mês atrás o Gartner públicou o Quadrante Mágico de Cloud para InfraEstrutura considerando a evolução dos provedores do ano de 2015 para 2016. Passei as últimas semanas lendo as análises, percepções e comentários de diversas fontes e assim saiu este post.

Inicialmente para quem quer ter acesso ao post completo – aqui está a referência – Magic Quadrant for Cloud Infrastructure as a Service, Worldwide.
https://www.gartner.com/doc/reprints?id=1-2G2O5FC&ct=150519


O que Cloud quer dizer para o Gartner:

Cloud computing é um estilo de computação no qual capacidades habilitadas por TI como recursos escaláveis e elásticos são entregues como um serviço usando tecnologias de internet.

Infraestrutura de Cloud como um serviço (IaaS) é um tipo de serviço de computação em nuvem que se assemelha a infra-estrutura e de centros de dados de iniciativas de TI.

  • Apenas Cloud IaaS é avaliada neste Quadrante Mágico;
  • Não abrange os provedores de armazenamento em nuvem, plataforma como serviço provedores (PaaS), provedores de SaaS, corretoras de serviços em nuvem (operadores privados) ou qualquer outro tipo de provedor de serviços em nuvem;
  • Não abrange os fornecedores de hardware e software que podem ser usados para construir infraestrutura de nuvem;

Vamos aos resultados e classificação dos provedores:

2016IaaS-MQ


Primeira referência que notei é que há um forte mensagem  na avaliação do Quadrante Mágico que enfatiza a necessidade de self-service, automação em um ambiente padronizado e principalmente lançamento de funcionalidades sob IaaS.

De maneira geral é obrigatório na avaliação do Gartner que os provedores ofereçam segurança (com multiplos orgões certificadores), marketplace (com soluções proprietárias e de parceiros), Suporte enterprise (24x7x365) via telefone, chat e ticket e que os provedores tenham o controle financeiro de conta de forma online.

O Gartner continua relatando infra-estrutura separada do resto da plataforma, mas não é o que estamos acostumado a encontrar no mercado. Muitos provedores como AWS, Azure, IBM, possuem os ambientes trabalhando juntose assim tornando o catálogo mais amplo e completo.

Faz-se necessário que todos os fornecedores ofereçam um portal, documentação, suporte técnico, suporte ao cliente e contratos em Inglês. Identificamos que muitos fornecem um ou mais destes em outros idiomas além do Inglês.

A maioria dos provedores pode realizar negócios em línguas locais. Clientes que necessitam de apoio multi-linguagem, será desafiador, principalmente para nós do Brasil.

A Gartner não considera Bare Metal ou servidores dedicados como Cloud, embora outros orgãos de mercado, incluindo IDC, Forrester, Synergy e TBR já considerem. Há uma crescente muito grande na necessidade e adoção de servidores bare metal por causa de sua segurança superior (através de isolamento físico) e um desempenho inigualável (necessário para análises intensas, aplicações em nuvem escala e cargas de trabalho empresariais, como VMware e SAP) e também em servidores virtuais dedicados.

 

Fornecedores considerados mas não incluídos no relatório do Gartner:

Está lista me chamou a atenção pela presença da Oracle e da IBM (com o BlueMix), vamos aos detalhes:

  • IBM.  Apenas SoftLayer oferta da IBM está incluído neste Quadrante Mágico, a IBM também tem outras iniciativas IaaS que não foram avaliados nesta pesquisa. Bluemix oferta da IBM – anteriormente puramente uma PaaS – foi ampliado para incluir elementos IaaS; no momento da avaliação, no entanto, a maioria destes elementos IaaS não foram em geral disponibilidade, e Bluemix como um todo não é uma oferta de nuvem IaaS geralmente disponíveis. A IBM também oferece o serviço de Blue Box, uma nuvem de IaaS oferta privada baseada em OpenStack. plataforma de IaaS e PaaS integrada go-forward da IBM serão apresentados através do portal Bluemix, e vai incorporar capacidades de Bluemix, SoftLayer e BlueBox. 
  • Oracle. No momento da avaliação, o serviço de nuvem da Oracle Compute não estava em disponibilidade geral e Oracle não tinha outra IaaS oferta de nuvem na disponibilidade geral que atende a definição de IaaS da Gartner. Consequentemente, a Oracle também não tem quota de mercado suficiente para se qualificar para a inclusão.

 

Obrigado e abraços,


Thiago Viola
Cloud Mid Market Sales Leader
SoftLayer Subject Matter Expert

E-mail: thiagoviola@yahoo.com.br
LinkedIn: br.linkedin.com/in/thiagoviola
Blog: https://thiagoviola.wordpress.com/
Twitter: @ThiViola
YouTube Channel: https://www.youtube.com/user/tviola87
Slide Share: http://www.slideshare.net/ThiagoViola